• Currently 3.42/5

Rating: 3.4/5 (410 votos)

ONLINE
1



A SEGURANÇA DO PACIENTE NA ATENÇÃO BÁSICA (AB)

A SEGURANÇA DO PACIENTE NA

ATENÇÃO BÁSICA (AB)

 

No ano de 2006, o Comitê de Segurança do Paciente da Europa reconheceu a necessidade de considerar a segurança do paciente como uma dimensão da qualidade em saúde em todos os níveis de cuidados de saúde, desde a promoção da saúde até o tratamento da doença. Embora a maioria dos cuidados seja prestada no nível da AB, as investigações sobre a segurança dos pacientes têm sido centradas em hospitais (SOUZA, 2006 ; MENDES, 2012).

Os cuidados hospitalares são os de maior complexidade e é natural que esse ambiente seja o foco inicial dessas investigações. Contudo, os cuidados na AB também ficaram mais complexos e, nas últimas décadas, a concepção de que a baixa densidade tecnológica é incompatível com as funções de uma AB de qualidade vem se fortalecendo. Com o aumento da complexidade tecnológica, houve uma ampliação das funções clínicas da AB, ou seja, os cuidados que eram prestados em outros níveis de atenção passaram a serrealizados nesse nível de atenção (SOUZA, 2006 ; MENDES, 2012).

A APS é a porta de entrada para alguns sistemas de saúde e é o nível de atenção mais utilizado pela população. Entretanto são poucos os estudos voltados à segurança do paciente na APS, sendo a maior parte deles existentes centrada no erro e não na sua consequência, o Evento Adverso (EA) (MENDES, 2012).

Em revisões de literatura os incidentes mais comumente encontrados na AB foram: devido aos erros de diagnóstico (26%-57%), erro no tratamento (7%-37%), ao tratamento medicamentoso (13%-53%), decorrente da forma da organização do serviço (9%-56%), e à comunicação entre os profissionais e os pacientes (5%-72%) (MENDES, 2012).

Entre os diversos cuidados imprescindíveis para a segurança do paciente na AB estão alguns procedimentos básicos que precisam ser adaptados para o contexto domiciliar e que devem ser adotados rigorosamente, tanto pela equipe assistente, quanto pelos cuidadores, que, na sua maioria, são informais, em geral os próprios familiares. Os mais importantes e frequentes são: precauções básicas padronizadas, prevenção de infecções, prevenção de lesões por pressão, cuidados na administração de medicamentos, cuidado com a ambiência adequada, prevenção de quedas, convivência com animais de estimação e por fim a qualificação do cuidador (BRASIL, 2016). 

Para garantir a efetivação de práticas de segurança no cuidado à saúde no domicílio, é necessário estabelecer um fluxo de notificação de incidentes ou eventos adversos que contemple os princípios da cultura justa, garantindo a preservação da identidade do usuário e dos profissionais envolvidos e que vise à aprendizagem com as falhas e a solução dos problemas identificados (BRASIL, 2016).

 

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. Segurança do paciente no domicílio / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência. –Brasília : Ministério da Saúde, 2016.

MENDES, E.V. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012. p. 512.

SOUSA, P. Patient Safety - A Necessidade de uma Estratégia Nacional. Qualidade em Saúde. Acta Med Port 2006; 19: 309-318.

 

 

Postado em: 04/03/2018

Por: Edilon Hoffmann (Enfermeiro)

Seja bem-vindo!

 

Essa página foi criada com o objetivo de destacar informações de relevância a promoção da saúde dos usuários/pacientes que utilizam os serviços da Estratégia Saúde da Família.

Contudo essa página não pretende oferecer soluções imediatistas para os dilemas da vida humana, simplesmente vai sugerir uma outra maneira de raciocinar sobre os conflitos existenciais do cotidiano comum da população. 

Vale ressaltar que essa é uma pagina sem fins lucrativos e não governamental.

 

Fique à vontade!

 

Edilon Miranda

COREN-ES 350768 - Enfermeiro

Especialista em Estratégia Saúde da Família pela UERJ


 Calendário da saúde




 Caderno do ACS


Sites dos Conselhos:


Sites Úteis: